sexta-feira, 9 de outubro de 2009

meus medos... minhas brigas... meus tropeços e arremessos

Ando pensando muito sobre a aparente fragilidade, o medo, o mostrar-se inseguro. Eu sou a senhora insegurança em pessoa. Ansiosa, roedoara inveterada de unhas. Mas, ao mesmo tempo há algo não sei onde aqui dentro, que me impulsiona e me faz seguir em busca do que realmente acredito. Faço uns caminhos meio alternativos, meio estranhos e tropeçados, mas no fundo, no fundo, dá certo. Nem sempre como eu quero, na hora em que quero, mas até que consigo. Isso me lembra uma música...


3 comentários:

Dra. Repolha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dra. Repolha disse...

Sobre isso, tenho apenas algo a dizer, uma "teoria" que cabe para nós duas...rsrs
Não é questão de insegurança naquilo que se tem que fazer, mas segurança naquilo que queremos realmente fazer. Não sei se tu me entende, mas vejo que nós só vamos realmente nos dedicar (com toda a segurança) naquilo que a gente realmente deseja. Acredito que segurança tem haver com sonhos e planos que queremos contruir para nós mesmas (satisfação pessoal)... Tá enrolado ainda né? Mas tenho certeza que seu coração entendeu o que estou querendo dizer.

Beijos Simone! E um brinde à nós que somos frágeis, porém corajosas!

JABÁ disse...

eu também sou assim,
a insegurança as vezes nos proteje, as vezes nos trava mas a verdade é que devemos ficar felizes pois somos abençoados pelo acaso e de uma forma ou de outra as coisas sempre acabam entrando no eixo, as coisas sempre vão ficar onde elas devem estar.
Basta agir com sinceridade e acima de tudo verdade. Que a verdade, por si só, se encarrega de fazer a parte dela e seguir os passos do nosso coração... E sempre será assim.