sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Você sabe o que é tiete?

Eu simplesmente adorei o texto do Roberto Vieira. Me identifico profundamente, pois já passei pela estranha sensação de me sentir tiete. Pior, groupie... mas isso é assunto para uma outra hora. Fique abaixo com o texto do Roberto.

Caso queira conhecer outros textos ou o ótimo blog dele: http://blogs.abril.com.br/ressonancia

Abraços,

Simone


Você sabe o que é tiete?

Gilberto Gil fez um frevo com este tema, lá pelo começo dos anos 80, se não me engano em homenagem a Regina Casé. Devia encher bastante o saco do GG, que, baiano, em vez de dar soco, pontapé, gritar, fez uma canção bem bacaninha, que infelizmente nunca mais ouvi. Sempre fiquei meio pé atrás com minhas tentações tietísticas, já que normalmente o limite tênue entre o que é uma demonstração de carinho e uma pegação no pé é vencido no ímpeto de mostrar àquela pessoa que você admira o quanto ela foi importante em sua vida. E pro ídolo, você é um ilustre desconhecido que não priva de sua intimidade, apesar de saber mais da vida ele do que ele mesmo, muitas vezes.

Sou corintiano, como quem me lê já sabe, e sexta-feira pude estar na presença do único ídolo de minha infância/adolescência que ainda não conhecia. Sócrates chegou, deu uma gingadinha na cadeira ao som da música do grupo de dança da Univali que antecedeu sua palestra, o que me fez ter certeza de que, realmente, ser um ser público foi um exercício a que ele teve de se submeter, desde que despontou no futebol. Pois não deve ser fácil se tornar uma celebridade.

Os outros dois jogadores do Corinthians que foram meus ídolos também conheci sem que tivesse que me esforçar para isso. Melhor assim, combinando com meu jeito blasé de ser. Com o Neto troquei algumas palavras no...Hopi-Hari. Entre uma montanha-russa e um chacoalhador de seres humanos qualquer, sob o sol inclemente do interior paulista, lá estava o cara que fez com que meu time deixasse de ser um clube regional para honrar seu hino e se tornar campeão brasileiro. Casagrande conheci na agência em que trabalhava, em Alphaville, o cara era cliente do banco e volta e meia dava as caras por lá. Em todos os casos, a percepção que tive é a de que a fama chegou sem que eles gostassem do efeito colateral que é o de ter um contato diário com pessoas desconhecidas que os conhecem, o que, invariavelmente, causa um choque térmico. É difícil para o latino, e sobretudo para o brasileiro, penso, entender que ser efusivo como somos com nossos amigos possa ser estranho para quem nunca nos viu na vida. É dura a vida de ídolo, neste aspecto.

Por isso, sempre procurei me manter na linha que separa o contato consentido do imposto, da ética que separa as relações profissionais das pessoais. Mas, humano que sou, guardei o porta-cartões detonado que o Casa me pediu para jogar fora. Você sabe o que é tiete?

Roberto Vieira - Locutor, publicitário, apresenta o Tá Ligado nas manhãs da Univali FM e o Mondo Pop, nas quintas 10 da noite e sábados 2 da tarde. E é claro, o Som Catarina na hora do almoço. http://www.robertovieiralocutor.com/

4 comentários:

Roberto disse...

Obrigado pelos elogios ao meu texto, Simone. Fiquei honrado de ser repicado no teu blog. Abraço!

Simone Castro disse...

Imagina Roberto! Valeu você por visitar! Abração!

Ana Luiza disse...

Puxa que historia!!^^
Acho que agora sei o verdadeiro significado da palavra!!Eita!!!hahahha

Feêr disse...

não sei ainda o que é ser tiete :/